Publicado em 23 d Dezembro d 2018

Eles são os nossos heróis

.

Funeral de um herói.

A guerra faz parte da experiência da humanidade: desde a antiguidade histórica registram-se guerras como as do Egito e Roma, onde grandes batalhas foram travadas, passando pela época contemporânea com as duas guerras mundiais, até os dias atuais, com as modalidades de guerrilha urbana, desencadeada por milicianos, infratores da Lei que não tem como objetivos organizar-se politicamente, montando sua história de grande ou pequena civilização, mas de enriquecer ilicitamente, espalhar pânico entre a população, e de afrontar a ordem pública e o Estado, tendo como consequência disso o confronto direto contra a polícia - a responsável pelo exercício e controle social e pela garantia da segurança pública.
Quem viu as cenas transmitidas na quinta feira, dia 19, pela televisão gerada pela gravação de circuito interno durante o assalto aos caixas eletrônicos e tesourarias de três agências bancarias pela área central da cidade de Atibaia, ainda na madrugada, pode perceber uma autêntica ação de guerrilha urbana com inúmeros bandidos, verdadeiros cangaceiros, fortemente armados de fuzis de guerra, usando capacetes balísticos, roupas camufladas e diversos acessórios militares protagonizarem uma das mais intensas trocas de tiro com o intuito de tentar impor o terror como método de êxito em suas ações contra a nossa polícia, e não os vermes, policiaizinhos, cobradores de propinas, como inúmeras pessoas vem dizendo em suas páginas nas redes sociais.
Essa ação surpreendeu a todos e causou comoção em toda a população de Atibaia, que despertou de seu descanso ouvindo saraivadas de tiros de fuzis sem saber de onde vinham, bem como, também, de outros munícipes, pois em meio a demonstração de terror e descaso com a vida humana, eis que surgiu a presença de alguns poucos homens, os quais nessa data, entrariam para a história de Atibaia como verdadeiros HEROIS. Homens que nada se assemelhavam com aqueles do cinema. São pais de família, trabalhadores, gente simples, que 24h por dia, 7 dias por semana, cumprem a árdua missão de linha de frente da democracia, mantendo a ordem e garantindo a nossa liberdade e direitos sob o nome de Policia Militar, o agente oficial do Estado, mas que carinhosamente são chamados pelo povo se “O Seu Guarda”. Guerreiros, que assim como as demais forças de segurança do nosso município, quando erram não os perdoamos sendo frequentemente implacáveis com eles, que morrem por nós para nos guardar. E o caso do nosso querido CB PM Nilson Mikio Furuta Junior, da 3 Cia do 34BPM/I que num ato de bravura teve sua vida ceifada covardemente ao tentar defender sua cidade de infratores da Lei. Junto a ele tivemos ainda seu parceiro CB PM Alves que também foi ferido por disparos de fuzil, bem como, outros dois policiais do 26BPM/M, Sgt. Douglas e Sd Levy, assim conhecidos, ambos alvejados e que se deslocaram de forma alucinada de uma municipio ao outro arriscando suas vidas para salvar seus irmãos de farda. Aqui em Atibaia, outros policiais também não mediram esforços para salvar nossos irmãos em meio ao emaranhado de tiros de fuzis, tal como nossos anjos da guarda do Corpo de Bombeiros e do 190, estes em especial a distância, lá em Campinas não abandonaram a sua missão mantendo postura, acalmando e guiando nossos guerreiros em meio ao caos como verdadeiros anjos, além de outros policiais militares de outras unidades e GCM, todos unidos em um só propósito: o de proteger algo frágil e delicado que só damos valor quando perdemos: a vida.
Por isso, hoje quando visualizei pelas redes sociais desinformados e maldosos publicarem notas de repúdio a atuação desses heróis anônimos e de apologia ao crime me senti na obrigação de elaborar esse texto como resposta e que para a população de Atibaia tenha consciência de que esses homens que arriscam suas vidas e que também doam suas vidas como no caso do nosso Herói CB Nilson, devem ser respeitados, homenageados e glorificados como forma de reconhecimento pelos seus atos de bravura e o principal: ter seus feito registrado para que jamais sejam esquecidos, pois apesar de ser um momento de angustia, tristeza e que ninguém deseja que se repita, esses homens, mesmo sabendo que eram em números inferior e que ainda tinham todas as dificuldades de locomoção e o fator surpresa em um conflito urbano em seus desfavor, cumpriram a sua missão ao defenderem nossa cidade e a sociedade. A eles, devemos nosso respeito e gratidão, pois eles deram conta do recado.
CB Nilson. Descanse em paz ao lado do Senhor Jesus. Você e o nosso herói: cumpriu seu juramento e sua missão.

Luiz Antonio Rodrigues Oliveira
SD PM DA 3 CIA DO 34BPM/I DE ATIBAIA.

Deixe seu comentário

Para postar um comentário, você precisa de uma conta.
Faça login
ou
Registre-se

Enquete

  Você é contra ou a favor do comércio em praças públicas?

A FAVOR
CONTRA

Última Edição

  Digite seu email abaixo para receber mensagens periodicamente com nossas últimas noticias:


Notícias por Data

Jornal O Atibaiense ©

Rua Deputado Emílio Justo, 280 - Nova Aclimação - Atibaia - SP - (11) 4413-0001