Publicado em 09 d Janeiro d 2018

Atibaia confirma duas mortes causadas pela Febre Amarela

Dois óbitos em humanos foram confirmados hoje pelo Instituto Adolf Lutz. Ao longo de 2017, um total de 95.341 mil pessoas foram vacinadas na cidade

Foto ilustrativa

Apesar da grande mobilização para a importância da vacinação contra a Febre Amarela em Atibaia, ainda há no município uma parcela da população que não foi vacinada, especialmente jovens e idosos. Segundo a Secretaria de Saúde, é importante que as pessoas que ainda não se vacinaram procurem as salas de vacina nas Unidades de Saúde, pois a Febre Amarela é uma doença grave, que pode levar à morte. A meta é imunizar 100% da população e a Prefeitura da Estância de Atibaia vem trabalhando para facilitar o acesso à vacina, que é a única forma eficaz e segura de prevenção contra a doença. Nesta terça-feira (9) dois óbitos em humanos foram confirmados pelo Instituto Adolf Lutz, o que reforça a importância vital da vacinação.
Desde abril de 2017 a Prefeitura vem promovendo e intensificando ações contra a Febre Amarela. A vacinação, principal forma de combate e prevenção à doença, acontece no atendimento diário nas unidades básicas e em mutirões das equipes da Secretaria de Saúde, com visita porta a porta em locais estratégicos. Com a ocorrência de macacos positivos, foram realizadas medidas intensivas, para alcançar em curto espaço de tempo a melhor cobertura vacinal possível, razão pela qual foi ampliado o horário de atendimento em algumas unidades de saúde, realizadas ações de vacinação em feiras noturnas e eventos, campanhas em empresas com grande número de funcionários. Um total de 95.341 mil pessoas foram vacinadas ao longo de 2017 e, desde 2007 (período de 10 anos – referência adotada pelos Grupos Regionais de Vigilância Epidemiológica do Governo do Estado de São Paulo), já são 104.032 mil imunizados, ou 75,17% da população de Atibaia.

De acordo com a Secretaria de Saúde, os dois óbitos e a ocorrência de macacos diagnosticados com Febre Amarela confirmam que o vírus está em circulação. Os primatas atuam como bioindicadores, possibilitando a identificação de áreas de risco de contaminação pela doença – que se dá pela picada do mosquito Haemagogus e Sabethes (transmissor) em macacos e em humanos.

No começo de 2017, apenas municípios vizinhos a Atibaia registraram mortes de macacos, mas a partir do mês de setembro começaram a surgir primatas mortos nas matas de Atibaia, resultando em 74 macacos recolhidos de fevereiro a dezembro, dos quais 37 positivos para Febre Amarela, 25 negativos, 1 amostra inadequada e 11 aguardando resultado.

A Secretaria de Saúde ressalta que as vacinas estão disponíveis em todas as unidades básicas da rede municipal. Além disso, a população também terá acesso à vacina, a partir do dia 10/01/2018, na Unidade de Pronto Atendimento – UPA, no Jardim Cerejeiras.

A Prefeitura também intensificará, com mutirões “casa a casa”, a busca por quem ainda não se vacinou, principalmente na zona rural e em áreas estratégicas do município, como regiões próximas a matas e com incidência de macacos positiva e ocorrências de casos suspeitos da doença.

Segundo a Secretaria de Saúde, pessoas, particularmente os jovens, que têm a prática de circular em áreas de risco fazendo trilhas, acampamentos, frequentando cachoeiras, precisam estar vacinados e utilizar repelentes.

Moradores da área rural que ainda não foram vacinados devem imediatamente procurar a vacina em postos de saúde.

Muitos idosos que não foram vacinados por recomendação médica, devem rever esta contraindicação nas salas de vacina dos postos de saúde. As verdadeiras contraindicações são doenças ligadas à imunidade, lupus, artrite reumatóide e outros reumatismos graves, aids avançado, câncer em tratamento ou em atividade, transplante de órgãos sólidos e uso de medicamentos que suprimem a imunidade. A alternativa nesses casos é o uso de repelente, evitar se expor a matas, usar telas nas janelas.

Em resumo, a Prefeitura da Estância de Atibaia salienta que todo o cuidado é necessário com relação à Febre Amarela. As pessoas não vacinadas não devem frequentar áreas de risco, como matas, e devem ser imunizadas o mais brevemente o possível. Além disso, o uso de repelente, telas e roupas que cubram o máximo de área corporal, podem contribuir na prevenção, dificultando a picada do mosquito transmissor – medidas que podem proteger quem não pode receber a vacina, mas não garantem, conforme ressalta a Secretaria de Saúde, pois o que realmente protege a população humana é a vacinação.

A vacina encontra-se disponível nas Unidades de Saúde de Atibaia, de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h. Mais informações na Secretaria de Saúde pelo telefone: (11) 4414-2220.

Deixe seu comentário

Para postar um comentário, você precisa de uma conta.
Faça login
ou
Registre-se

Enquete

  Você é contra ou a favor do comércio em praças públicas?

A FAVOR
CONTRA

Última Edição

  Digite seu email abaixo para receber mensagens periodicamente com nossas últimas noticias:


Notícias por Data

Jornal O Atibaiense © 2010

Rua Rio de Janeiro, 107 - Atibaia Jardim - Atibaia - SP - (11) 4413-0001