Publicado em 20 d Março d 2018

Atibaia tem 54 casos suspeitos de febre amarela

Óbitos entre não vacinados chegaram a 8 casos. Altas entre não vacinados totalizaram 15. Aguardando resultado e ainda internados, foram 2.

Ilustrativa

Os dados fazem parte do último boletim da Divisão de Vigilância Epidemiológica, da Secretaria Municipal de Saúde, e se referem ao período até 6 de março. Foram atendidos e/ou notificados 54 casos suspeitos de febre amarela (entre esses há residentes, pessoas de outros municípios, vacinados ou não vacinados).
Segundo o boletim, as pessoas não vacinadas e com exame positivo para a febre amarela somaram 23. Óbitos entre não vacinados chegaram a 8 casos. Altas entre não vacinados totalizaram 15. Aguardando resultado e ainda internados, foram 2.
No período de 2017 a 2018, foram aplicadas 163.770 doses da vacina. A vacina continua nos postos de saúde, em especial na UBS Centro e na USF Cerejeiras. Se for considerado o número de habitantes (138.449 habitantes - IBGE/2016) e a quantidade de vacinas aplicadas, pode-se dizer que a meta foi atingida.
“Sabemos que muitas pessoas de outras cidades tomaram a vacina em Atibaia, além da grande população flutuante. Diante dessas particularidades, o município continua a vacinação”, avalia a Secretaria de Saúde. Outro alerta é de que os bebês, ao fazerem 9 meses, devem ser vacinados. Sobre o Aedes aegypti (dengue), vem sendo feita ação casa a casa e está programado fumacê nos bairros.
Febre amarela: Sintomas
A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por vetores. Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a febre amarela.
Transmissão
A febre amarela ocorre nas Américas do Sul e Central, além de em alguns países da África e é transmitida por mosquitos em áreas urbanas ou silvestres. Sua manifestação é idêntica em ambos os casos de transmissão, pois o vírus e a evolução clínica são os mesmos — a diferença está apenas nos transmissores. No ciclo silvestre, em áreas florestais, o vetor da febre amarela é principalmente o mosquito Haemagogus e do gênero Sabethes. Já no meio urbano, a transmissão se dá através do mosquito Aedes aegypti (o mesmo da dengue).
A infecção acontece quando uma pessoa que nunca tenha contraído a febre amarela ou tomado a vacina contra ela circula em áreas florestais e é picada por um mosquito infectado. Ao contrair a doença, a pessoa pode se tornar fonte de infecção para o Aedes aegypti no meio urbano. Além do homem, a infecção pelo vírus também pode acometer outros vertebrados.
Os macacos podem desenvolver a febre amarela silvestre de forma inaparente, mas ter a quantidade de vírus suficiente para infectar mosquitos. O macaco não transmite a doença para os humanos, assim como uma pessoa não transmite a doença para outra. A transmissão se dá somente pelo mosquito. Os macacos ajudam a identificar as regiões onde estão acontecendo a circulação do vírus. Com estes dados, o governo distribui estrategicamente as vacinas no território nacional.
Prevenção
Como a transmissão urbana da febre amarela só é possível através da picada de mosquitos Aedes aegypti, a prevenção da doença deve ser feita evitando sua disseminação. Os mosquitos criam-se na água e proliferam-se dentro dos domicílios e suas adjacências. Qualquer recipiente como caixas d'água, latas e pneus contendo água limpa são ambientes ideais para que a fêmea do mosquito ponha seus ovos, de onde nascerão larvas que, após desenvolverem-se na água, se tornarão novos mosquitos.
Portanto, deve-se evitar o acúmulo de água parada em recipientes destampados. Para eliminar o mosquito adulto, em caso de epidemia de dengue ou febre amarela, deve-se fazer a aplicação de inseticida através do "fumacê”. Além disso, devem ser tomadas medidas de proteção individual, como a vacinação contra a febre amarela, especialmente para aqueles que moram ou vão viajar para áreas com indícios da doença. Outras medidas preventivas são o uso de repelente de insetos, mosquiteiros e roupas que cubram todo o corpo.

Deixe seu comentário

Para postar um comentário, você precisa de uma conta.
Faça login
ou
Registre-se

Enquete

  Você é contra ou a favor do comércio em praças públicas?

A FAVOR
CONTRA

Última Edição

  Digite seu email abaixo para receber mensagens periodicamente com nossas últimas noticias:


Notícias por Data

Jornal O Atibaiense ©

Rua Deputado Emílio Justo, 280 - Nova Aclimação - Atibaia - SP - (11) 4413-0001