Publicado em 14 d Novembro d 2017

Entrevista: Saulo destaca que desapropriação é o caminho para a solução das enchentes em Atibaia

O prefeito Saulo Pedroso concedeu entrevista a O Atibaiense junto com o vice Emil Ono e falou sobre investimentos a serem feitos no município.

O vice-prefeito Emil Ono e o prefeito de Atibaia Saulo Pedroso

O prefeito Saulo Predoso e o vice-prefeito Emil Ono concederam entrevista exclusiva a O Atibaiense na quarta-feira, dia 8, e falaram sobre os projetos e investimentos do governo nos próximos anos. Há obras e propostas de grande vulto, como a duplicação da Avenida Jerônimo de Camargo, o desassoreamento e recuperação de três lagos da cidade e a construção de uma nova unidade do Ciem (Centro Integrado de Educação Municipal).
Saulo falou ainda da questão das enchentes. Com a chegada do período de chuvas, o assunto volta à tona e a população das áreas de risco sentem-se inseguras. O prefeito destacou que para resolver o problema definitivamente no município o investimento é muito alto – na ordem dos R$ 110 milhões. “A cidade não tem esse dinheiro e só o Governo do Estado tem a condição de arcar, mas temos que considerar que há outras cidades do estado pleiteando verbas e o governo não deve liberar R$ 110 milhões para Atibaia”, comentou.
O prefeito considera que o investimento para combate a enchente tem que ser muito bem pensado. “Se não faz tudo o que é necessário, não resolve o problema na íntegra. Imagina gastar R$ 40 milhões e ter enchente. Avaliamos que é mais viável gastar de R$ 5 milhões a R$ 10 milhões para desapropriar as casas que estão na área que alaga”, complementou.
“Se o Governo do Estado não liberou nem R$ 10 milhões para desassorear o Rio Atibaia, não vai liberar verba maior para construir piscinões. Além do que o piscinão é uma obra que causa grande impacto no entorno. O grande problema nas áreas de enchente é a ocupação. Vamos declarar utilidade pública das áreas e propor a desapropriação. Se a pessoa não concordar com valor, revogamos a desapropriação. Não vamos forçar na Justiça. Vamos fazer com diálogo. Mostrando que é uma vertente eficaz para o problema”, disse Saulo, lembrando que fez reunião esta semana com moradores do Parque das Nações para tratar dessa possibilidade e a população foi receptiva.
“É muito difícil fazer isso (desapropriação) porque o bairro é tradicional da cidade e muitos construíram a vida ali. É muito difícil ter que sair e morar em outro lugar. Mas deixamos claro que vamos fazer tudo dentro da lei. Peritos vão dizer qual o valor dos imóveis, dentro que é estipulado em lei”.
A Prefeitura aguarda ainda a liberação de crédito internacional com o Fundo Financeiro para Desenvolvimento da Bacia do Prata – FONPLATA, até o valor de US$ 34.700.000,00, para a execução do Programa de Desenvolvimento Urbano no Município de Atibaia – Moderniza Atibaia, que contempla a realização de obras de infraestrutura, como a duplicação da Av. Jerônimo de Camargo, de saneamento, como a canalização do córrego da Figueira e do córrego Ana Pires, e de prevenção contra inundações. As obras de prevenção contra inundações incluem drenagem, controle de vazão e calçamento no entorno dos lagos do Jardim paulista, Jardim do Lago e Lago do Major. Esses três lagos devem passar ainda por desassoreamento, com verba municipal.
O prefeito e o vice comentaram ainda sobre temas polêmicos ocorridos recentemente. Um deles é a cobrança do asfalto no Jardim Imperial. A Prefeitura asfaltou 100% do bairro e, pelo código tributário, deve lançar os carnês de cobrança de contribuição de melhorias. Pela lei, o morador deve pagar pela melhoria recebida. Saulo negou que tenha prometido asfalto de graça. “O que aconteceu é que fiz reunião uma vez no Jardim Cerejeiras e disse que o recurso era originado de emenda parlamentar e não desejava cobrar, que iria tentar não cobrar. Mas as pessoas que receberam asfalto em outras ruas entraram na Justiça com contestação administrativa por causa da isonomia. Segundo a lei, tem que cobrar de todos. Não conseguimos achar uma vertente para não cobrar, não conseguimos amparo legal para não cobrar e tivemos que seguir o que a lei estabelece”, explicou.
Outro tema polêmico é a reforma da Praça da Rodoviária. “Quem está lá é por força de decreto precário. A Prefeitura pode reintegrar posse. A ideia ali é revitalizar a praça e oferecemos várias alternativas para todos, para que todos pudessem escolher para onde ir durante a reforma. De todos, há dois que ainda não concordaram e entraram com ação judicial. Um perdeu e um conseguiu liminar que não tivemos a notícia oficial ainda. Já estamos demolindo os boxes de quem saiu e vamos melhorar a praça”.
Entre as ações do governo neste ano, o vice-prefeito Emil Ono destacou o trabalho do Gabinete de Gestão Integrada em Segurança Pública como uma proposta que surpreendeu pelo resultado positivo em pouco tempo. “As pessoas que comandam são comprometidas e sem vaidades, sem interferência política. Todos se envolvem nas ações e se colocam à disposição para ajudar”, destacou. Saulo ressaltou que o governo tem acreditado e investido nesse projeto. “Estamos instalando câmeras de monitoramento que vão ajudar o GGI. A ideia é trocar as câmeras já existentes pelas novas, que registram as imagens e colocam em banco de dados”.
Saulo destacou que a Prefeitura está com as contas em dia e deve abrir concurso público para algumas áreas no início de 2018. “Consegui fazer tudo que era possível, não o que queria. Queria ter começado a duplicação da Jerônimo esse ano, assim como iniciar a construção do Ciem. Mas foi feito todo o possível. Cobro muito a equipe e avalio que tudo que não aconteceu não foi por falta de comprometimento da equipe. Foi porque são questões que não dependem apenas da Prefeitura”.
Sobre as eleições de 2018, Saulo afirmou que apoiará Roberto Santiago, que se coloca como pré-candidato a deputado federal. Para estadual, deve apoiar Edmir Chedid na cidade. “Tenho compromisso com o Edmir na cidade e com Santiago em nível de Estado”.
O prefeito falou ainda sobre a eleição de 2020 e destacou que Emil Ono é o nome natural do grupo. Para o vice-prefeito, a relação de amizade com Saulo é muito forte e o grupo tem permanecido unido. “Temos relação de amizade muito forte. Em 2018 serão 10 anos que estaremos juntos. Fomos eleitos juntos em 2008 para vereador, estivemos no mesmo grupo no mandato passado, com Saulo prefeito e eu vereador, mas assumindo a Secretaria de Governo por um período. Agora com Saulo reeleito e eu de vice continuamos o nosso projeto para a cidade”, ressaltou Emil Ono.

O Atibaiense – Da redação

Deixe seu comentário

Para postar um comentário, você precisa de uma conta.
Faça login
ou
Registre-se

Enquete

  Você é contra ou a favor do comércio em praças públicas?

A FAVOR
CONTRA

Última Edição

  Digite seu email abaixo para receber mensagens periodicamente com nossas últimas noticias:


Notícias por Data

Jornal O Atibaiense © 2010

Rua Rio de Janeiro, 107 - Atibaia Jardim - Atibaia - SP - (11) 4413-0001